Passeio por Chicago

Chicago é, realmente, uma cidade muito legal. Ao comparar com Nova York, não posso deixar de afirmar que a capital do Estado de Illinois tem muitas características que muitos nova-iorquinos não gostariam de reconhecer. A rivalidade entre as duas metrópoles é antiga e intensa. Os jornais de Nova York , há muito, sempre que podem, adoram alfinetar Chicago em todos os aspectos. Nas décadas de 20 e 30, quando o crime organizado dominava a cidade, a corrupção infestava os governantes e fazia de seus habitantes prisioneiros da violência desenfreada, o New York Times já chegou a afirmar que Chicago era uma cidade “de segunda classe, habitada por cidadãos de segunda classe”.

Da corrupção de seus políticos, surgiu o apelido, dado pelos nova-iorquinos, é claro, de “Windy City”. Ao contrário do que muitos pensam, a alcunha nada tem a ver com os fortes ventos que sopram na cidade, mas sim com a fama dos políticos locais que seriam “full of air”, expressão que indica alta propensão à corrupção. Mas já se vão muito anos desde os tempos de Johnny Torio e Al Capponi e Chicago, apesar da violência presente nos bairros mais pobres, recuperou-se da má fama.

Hoje, Chicago é uma cidade vibrante, bonita e incrivelmente limpa. Os trilhos do trem suspensos por boa parte do centro da cidade e prédios históricos dão à Chicago um clima um pouco nostálgico bem gostoso e, até certo ponto, aconchegante.

A vida cultural é farta e intensa. Chicago tem sua própria “Broadway”, chamada de “Downtown Theater District”, onde espetáculos que fazem fama em Nova York ganham montagens igualmente exuberantes.

Na gastronomia, Chicago orgulha-se da sua famosa “deep dish” pizza, com bastante receio espalhado em massa alta. Os nova-iorquinos, é claro, dizem que o prato símbolo da cidade não passa de uma caçarola. A mais famosa “deep dish” pode ser encontrada em lugares tradicionais como “Giordano’s” e “Pizzaria Uno”.

Chicago é uma cidade com muitas atrações turística a serem exploradas. Apesar de ser uma cidade grande, Chicago permite locomoção fácil de transporte público (ônibus e metrô), a pé, bicicleta ou táxi. Localização pode fazer toda a diferença em Chicago. Procure um hotel que fique na região da Michigan Ave. de lá, você pode facilmente andar pelo centro da cidade. Atrações:

As atrações e passeios que irei sugerir foram visitadas durante três dias. É claro que não pretendo, aqui, esgotar todas as atrações da cidade, apenas compartilhar o que visitei e o que me parece mais interessante.

Ao chegar no aeroporto de O’Hare, o passageiro pode ir ao centro de trem ou ônibus modernos e seguros. Então, caso não esteja carregando muita bagagem, é claro, pode deslocar-se até a cidade com facilidade pelo sistema público de transporte.

Millenium Park – Espécie de Central Park de Chicago. Ok, forcei um pouco a comparação, mas é o que a cidade oferece de mais parecido com o famoso parque urbano de Nova York. O lugar abriga diversas obras de arte ao ar livre e, durante os meses mais quentes, acontecem inúmeras atividades culturais. Destaque para o “Cloud Gate”, escultura de Anish Kapoor, localizada na AT&T Plaza, e para a “Crown Fountain” do escultor catalão Jeume Plensa, o “Millenium Monument” e a serpentinosa “Pedestrian Bridge”.

Art Intitute of Chicago – Principal museu de arte da cidade. No seu acervo obras de mais de 77.000 peças, abriga obras diversas, desde arte bizantina e antiga a pinturas modernas americanas. Além de quadros de Van Gogh e Paul Gauguin, dois dos mais famosos quadros de artistas americanos fazem parte do acervo do museu: “Nighthawks”, de Edward Hopper e “American Gothic”, de Grant Wood.

Willis Tower (Sears Towers) – Quando construído em 1973, a torre de 443 metros era o maior edifício do mundo, ultrapassando o então primeiro lugar World Trade Center em Nova York. Foi o maior do mundo até 1998, quando perdeu o posto para as torres Petronas na Malásia. Hoje, o icônico prédio é apenas o 13º do mundo, mas seu famoso observatório chamado Skydeck, no 103º andar, é umas das maiores atrações turísticas de Chicago.

Navy Piers – Construído em 1916, o espaço público de 1km às margens do Lago Michigan é um dos mais visitados destinos de Chicago. Restaurantes, lojas, teatro, museu infantil, roda gigante e cinema dividem espaço com diversas empresas que fazer tours pelo lago e Chicago River. Aqui, aproveito para recomendar qualquer tour ou mesmo water taxi que navegue pelo rio. Chicago é cortada por um sistema de canais impressionantemente lindo. Muitas empresas oferecem o serviço e você não pode deixar de passear pelas 150 milhas de canais que adentra a cidade. No verão o Navy Piers também abriga espetáculos ao ar livre e queima de fogos.

Hospedagem – Como em todo lugar, a localização do hotel facilita toda a viagem. Em Chicago, a região da Michigan Avenue é cheia de hotéis, bem centralizada, com ótimos restaurantes, perto de atrações turísticas e estações de metrô que facilitam o deslocamento pela cidade. Fiquei no Hard Rock Cafe Hotel bem no centro da cidade. Um hotel super charmoso, bem localizado, quartos amplos e limpos e com preço justo. Não poderia ter escolhido lugar melhor.

 

Espero que nossas dicas ajudem você a aproveitar mais essa cidade lida e cheia de atrações. Eu volto, Chicago. Juro.

IMG_8592 IMG_8593 IMG_8603    IMG_8575  IMG_8585 IMG_8587 image1-1 image2-1 image3-1 image4-1 image5-1 image6-1   image9 image10 image1 image2  image4  image6  image8

2 comentários em “Passeio por Chicago

  1. Olá, Marina

    Gostei muito de suas dicas e gostaria de conhecer Chicago também. Quantos dias vc acha necessário ficar lá para conhecer a cidade? E só uma correção: a capital de Illinois é Springfield. Chicago é a maior!

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.

*